MUDANÇA COM SEU PET

Mudar de casa geralmente é um processo que requer adaptação, principalmente quando um animalzinho é membro da família. Mudanças de território fazem qualquer bichinho ficar perdido no novo ambiente e leva um tempo para que eles se adaptem à nova realidade.

De repente, seu cão nota que aquele velho conhecido matinho de fazer xixi…sumiu. E aquela janela onde o seu gato passava horas sentado apreciando a paisagem? Não é mais a mesma. Quartos, sala, cozinha, quintal: é tudo diferente. O espaço do terreno também pode ser outro, a casa aumentou ou diminuiu, o que era um apartamento apertado, de repente se tornou um espaço mais amplo com jardim. Tudo isso contribui para o seu amiguinho ficar agitado e estressado. Para facilitar esse processo de mudança na vida do pet, algumas dicas são preciosas nesse momento de adaptação ao novo lar.

 

Antes da mudança

Primeiramente, é fundamental que no dia da mudança o animal não esteja junto. Presenciar a movimentação de pessoas estranhas, caixas, caminhão e toda a mobília sendo retirada pode causar muita confusão no bichinho. Procure deixá-lo com alguém que já seja da confiança do animal até que a mudança seja concluída.

Entretanto, na hora de levar o pet ao novo lar é muito importante que os donos estejam junto. Entrar num território desconhecido pode assustá-lo e a referência de seus donos por perto representa segurança.

 

O comportamento dos Pets na hora de conhecer o novo lar

A presença dos donos na hora de conhecer o novo lar é fundamental para que o animal se sinta calmo e seguro

 

Período de adaptação

Após levar o bichinho ao novo ambiente, é necessário ter paciência, pois inicia-se a fase de reconhecimento e descoberta. Cães, por exemplo, costumam cheirar todos os cantinhos e querem aprender tudo sobre o lugar, então cuidado, ele provavelmente vai querer demarcar território. Instrua desde o início sobre os locais para as necessidades. Já os gatos costumam ser mais curiosos e desconfiados, então o ideal é deixá-los num cômodo fechado com os pertences próprios até que se sintam confiantes para fazer o reconhecimento do ambiente. De qualquer forma, mostrar-se próximo é fundamental para que seu gato não perca a referência de segurança.

Animais como cães e gatos têm faro aguçado e são pautados pelo cheiro, então é importante que nessa fase ele reconheça a sua presença em todos os ambientes para que se acostume ao local. Espalhe pela casa nova roupas e peças contendo o seu cheiro, principalmente no lugar onde ele for dormir. Deixar os brinquedos, panos e os objetos preferidos do pet pela casa, em especial próximos à caminha onde ele dorme, também traz a sensação de familiaridade e conforto ao animal. Ele vai se sentir mais calmo, inclusive para conseguir adormecer no novo ambiente.

Manter a rotina do pet é essencial nessa fase de adaptação. Horários de passeios, brincadeiras, alimentação e sono devem ser mantidos para que não causem estranhamento aos hábitos regulares do animal. O objetivo é que os padrões do antigo lar sejam mantidos no novo ambiente, evitando-se ao máximo mudanças bruscas.

 

Espaço do novo ambiente

Um ponto importante é o tipo de imóvel para o qual você está se mudando. Para um cão é muito difícil processar a ideia de viver livre no quintal de uma casa e ir para um apartamento, por exemplo. Da mesma forma, gatos criados em apartamentos podem não se acostumar facilmente com uma casa térrea e, sem o devido cuidado, podem tentar fugir em busca do antigo lar, se tiverem acesso à rua.

Todas as precauções precisam ser tomadas na mudança de ambiente, então se o animal foi acostumado a ser criado livre e tiver que mudar para uma área menor e fechada, tenha o hábito de passear com ele regularmente e coloque tela nas janelas. Se o contrário acontecer e ele for ambientado com territórios menores, como apartamentos, na hora da mudança para uma casa térrea cuide com portas e janelas para que ele não escape para rua.

 

Passeios frequentes ajudam a extravasar a energia e relaxar o animal

Passeios frequentes ajudam a extravasar a energia e relaxar o animal

 

Telas em janelas e sacadas são necessárias para proteger os pets

Telas em janelas e sacadas são necessárias para proteger os pets

 

Cães de apartamento precisam de um tempo para se adaptarem ao quintal, pois podem se assustar por se sentirem abandonados numa área externa estranha. Introduza o espaço aos poucos, sempre estando junto dele e, de preferência, utilizando o local para recreação, assim o animal terá o lugar como uma referência feliz.

 

Estresse e depressão

Animais são seres sensíveis e absorvem tudo o que seus donos sentem. Se a mudança de ambiente é feita com alegria e tranquilidade, o pet possivelmente vai se sentir mais seguro e confortável durante o processo. Se, por outro lado, houver nervosismo e estresse, o bichinho absorverá as mesmas sensações.

O sentimento de insegurança pode levar o animal à depressão por perder as referências que sempre teve. Tristeza permanente, tremores excessivos, não brincar, mudanças bruscas de comportamento, de hábitos alimentares e nas necessidades fisiológicas são alguns dos sintomas de que seu amiguinho pode não ter se adaptado muito bem ao novo lar. Nesse caso, procure um veterinário o quanto antes.

 

Tristeza permanente e comportamento atípico podem ser sintomas de depressão do animal.

Tristeza permanente e comportamento atípico podem ser sintomas de depressão do animal.

 

Outra alternativa para os pets com dificuldade de adaptação é procurar a ajuda profissional de um adestrador. Mostrar os lugares certos para o xixi, fezes e instruir o animal sobre horários para comer e dormir são tarefas que se tornam mais fáceis quando feitas por alguém preparado a lidar com esse tipo de situação. Quanto mais novo for o pet, mais fácil será de adestrá-lo, porque ainda não adquiriu muitos vícios e está mais flexível ao aprendizado.

Trabalhar os comportamentos do seu amiguinho logo que for feita a mudança de ambiente é fundamental para o bem estar dele. Um animal assustado pode se manifestar de diversas formas: buscando esconderijo e se tornando arredio ou, até mesmo, através de uma atitude mais agressiva e arisca, destruindo a mobília da casa e latindo incessantemente, no caso dos cães. Se você não quer ter problemas com a nova vizinhança, precisa reeducá-lo antes que ele adquira hábitos que possam desagradar e causar situações indesejadas.

 

Bom relacionamento com o seu Pet

 

Com paciência, carinho e atenção, certamente irão se adaptar bem ao novo lar e essa fase de mudança vai ser superada com tranquilidade e sem maiores problemas!

por Camila Viol

Fonte: http://www.hfurbanismo.com.br

Deixe uma resposta