Melhore a organização do seu armazém

Separar os produtos rapidamente no armazém é um dos fatores que garante a agilidade na operação de um e-commerce. As lojas virtuais são pressionadas para atender com rapidez por causa da demanda urgente dos consumidores e do desafio de vencer a acirrada concorrência. Para cumprir a exigência, é necessário a criação de metodologias, inclusive na armazenagem de produtos.

Portanto, acelerar o processo de picking e facilitar o acesso dos operadores ao item vendido é essencial, e isso pode acontecer com um bom trabalho de endereçamento logístico, que é o método empregado para facilitar a localização de produtos dentro de um armazém.

Destrinchando o endereçamento logístico

O endereçamento estabelece sistemas de localização dividindo o armazém por local, blocos, ruas, colunas e níveis, com uma organização semelhante a de uma cidade. Sem um bom esquema de localização, os produtos se acumulam e se misturam, os pedidos sofrem atrasos na separação, os operadores têm dificuldade de movimentação e podem ficar perdidos dentro do armazém.

Ou seja, o endereçamento tem grande influência na utilização dos espaços de armazenagem. Quando bem implementado, esse mapeamento agiliza a tarefa dos operadores, pois basta olhar o cadastro de produtos na tela do computador e ver a sua respectiva localização no estoque.

O endereçamento logístico colabora para promover também:

  • O máximo aproveitamento do espaço.
  • A utilização efetiva de mão de obra e equipamento.
  • O acesso fácil a todos os itens.
  • A movimentação eficiente dos itens.
  • A máxima proteção dos itens.
  • A boa qualidade de armazenagem.

Sabemos que manter um armazém é sinônimo de geração de despesas, afinal, é um investimento que não trará retorno financeiro. Entretanto, investir no mapeamento físico é o menor gasto relacionado ao armazém, e ele ajudará a aumentar a eficiência e a organização do armazém.

Como fazer um levantamento do armazém

Conhecer melhor seu estoque é importante para saber o está sendo empregado e o que será necessário desenvolver. Por isso, fazer um levantamento inicial é o que servirá de termômetro para as próximas etapas.

Nesse documento, verifica-se o modelo de estrutura de armazém. Por meio dessa análise, é possível evitar a necessidade de recriar ou excluir códigos de endereçamento após sua criação, o que configuraria um retrabalho.

A tarefa de levantar informações requer exatidão e deve ser iniciada com uma inspeção nas estruturas de armazenagem, verificando o volume suportado em cada locação e a quantidade de endereços em cada módulo, onde são armazenados os porta-paletes.

Em seguida, conta-se as posições de armazenagem e quantos endereços serão criados. Esse dimensionamento mostrará a quantidade de endereços necessários para a otimização do estoque. Por fim, é necessário reunir a informação sobre o local em que cada produto será alocado por meio do sistema de endereçamento logístico.

O que é e como desenvolver o sistema de localização de estoque

O objetivo do armazenamento é utilizar o espaço em todas as suas dimensões (comprimento, largura e altura). Para que isso ocorra de maneira eficaz, a busca por uma melhor maneira de armazenagem começa com definições importantes, como o sistema de localização de estoque, que registra o histórico de cada item estocado no armazém.

O sistema de localização de estoque pode ser dividido em três categorias: sistema de memória, fixo e aleatório. O padrão ideal para o seu negócio será aquele que irá colaborar com a redução de custos de armazenagem, ao mesmo tempo que se adapta à estratégia da sua empresa. Confira abaixo as metodologias em detalhes.

1. Por memória

Nessa categoria, como o próprio nome indica, a armazenagem dependerá da memória do operador, que ficará responsável por escolher em que local os produtos serão estocados. Aqui, não necessita de programas ou outros recursos para fazer o acompanhamento, mas vale reforçar que esse sistema só funcionará bem se:

  • somente um operador trabalhar em uma área específica do armazém.
  • o número de SKU (Stock Keeping Unit), ou unidade individual de estocagem, for pequeno.
  • o número de locais diferentes de estocagem for pequeno.

Se tudo isso for respeitado, mesmo assim há algumas limitações no sistema de estoque por memória. É possível que o operador se confunda em relação às informações de localização, o que influenciará na eficiência do sistema. Outro ponto é que a troca de turno dos operadores pode comprometer os processos.

2. Fixo

Aqui, as mercadorias têm um espaço reservado no armazém, o que colabora para reduzir o tempo gasto na viagem de coleta dos produtos pela facilidade de encontrá-los. Outra característica é que os boxes são determinados pelo estoque máximo que se pode colocar neles.

No entanto, a desvantagem é que o sistema fixo pode exigir mais boxes que o necessário, já que o espaço é estritamente reservado somente para determinada mercadoria. Além disso, quando há uma alteração na demanda, os itens obrigatoriamente devem ser redistribuídos.

3. Aleatório

O sistema aleatório é a categoria em que as mercadorias não possuem um local determinado. Sendo assim, o boxe nunca ficará vazio, pois sempre que houver um espaço disponível, ele será ocupado por outra mercadoria.

Nesse sistema, quando um item é recebido, é necessário fazer uma consulta para verificar se já existe estoque dele. Se sim, descobre-se qual é a localização e se há espaço disponível no boxe para então armazená-lo. Caso não exista o item armazenado, consulta-se o sistema para achar um ponto de estocagem disponível.

Como há alta rotatividade de mercadorias, que mudam de local com frequência, é necessário utilizar um software que registre a estocagem dos itens e permita fazer o controle de estoque corretamente.

A importância da sinalização no endereçamento logístico

A etapa seguinte à definição do sistema de localização de estoque é o estabelecimento de uma sinalização. Um grande desafio no sistema de endereçamento logístico é desenvolver uma metodologia de sinalização que seja simples e fácil de ser entendida por todos os operadores fixos do armazém e por aqueles contratados para trabalhos temporários, como em Black Friday.

A Netshoes, por exemplo, contratou cerca de 750 funcionários temporários para a Black Friday de 2017. Pense que muitos deles estarão atuando no armazém. Como seria agilizar o serviço se a sinalização e a disposição do estoque fosse complexa?

Por isso, o objetivo dessa etapa é desenvolver métodos de orientação geográfica que evitem que o operador circule pelo armazém como uma barata tonta.

Uma dica valiosa é evitar o uso de letras para desenvolver a codificação de um ambiente, já que elas limitam e podem confundir os operadores. Por exemplo, se o operador estiver na rua 5 e precisar caminhar até a rua 15, ele saberá que precisa andar 10 ruas. Porém, se a divisão feita for alfanumérica, é difícil fazer o cálculo prontamente de quando andar da rua J até a rua Y.

Como estabelecer um sistema de sinalização eficiente

Para desenvolver a sinalização, o armazém deve ser dividido como se fosse uma cidade, contendo ruas (corredores), módulos (edifícios), nível (andar) e sequência (vão ou apartamento). A seguir, definimos cada uma dessas estruturas:

1. Área

Dependendo do armazém, pode ser que existam diversas áreas. Se for seu caso, é necessário aplicar diferentes códigos para áreas de armazenagem, mas mantendo a sequência da numeração dos corredores.

2. Ruas

Os os corredores do armazém são definidos por numeração sequencial. É importante que a rua 1 fique perto do local em que ocorre o recebimento e o envio de mercadorias, começando de um lado do galpão e terminando do outro.

3. Módulo

Chamados também de prédios, trata-se do conjunto de espaços de armazenagem compreendidos entre duas colunas da estrutura porta-palete. Cada rua (corredor) tem prédios (módulos) dos dois lados. Tendo em mente a mesma ideia usada nas cidades, identifique os módulos do lado esquerdo do corredor com numeração ímpar e os do lado direito com numeração par.

4. Nível

Corresponde aos andares de um módulo (prédio). Assinala-se o número 1 para o nível mais baixo, continuando a sinalização de modo ascendente até o nível mais alto.

5. Sequência

Também chamada de vão, é considerada como um apartamento pois cada espaço é um boxe de armazenamento.

Depois de se projetar o espaço físico do armazém, deve ser estabelecido um sistema de informação para facilitar a localização do item desejado. Cada item deve ter um endereçamento próprio dentro da área de estocagem.

O sistema de localização exige que todas áreas sejam numeradas e arranjadas da mesma maneira, sendo que qualquer pessoa familiarizada possa encontrar uma localização. Outra vantagem da sinalização é ajudar os colaboradores a se localizar-se e deslocar-se com rapidez aos locais indicados. O investimento feito na sinalização é rapidamente recuperado pela otimização do processo de armazenamento e expedição.

Publicação original: https://www.mandae.com.br/blog/enderecamento-logistico-melhore-a-organizacao-do-seu-armazem/30

Deixe uma resposta